sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

A Circo o Menino a Vida




A moça do arame
equilibrando a sombrinha
era de uma beleza instantânea e fulgurante!
A moça do arame ia deslizando e despindo-se.
Lentamente.
Só para judiar.
E eu com os olhos cada vez mais arregalados
até parecerem dois pires.
Meu tio dizia:
"Bobo!
Não sabes
que elas sempre trazem uma roupa de malha por baixo?"
Sim! Mas toda a deliciante angústia dos meus olhos virgens
segredava-me:
"Quem sabe?..."
O menino
(que não sei como insiste em não morrer em mim)
ainda e sempre
apesar de tudo
apesar de todas a desesperanças,
o menino
às vezes
segreda-me baixinho
"Titio, quem sabe?..."
Ah, meu Deus, essas crianças!


Mário Quintana


Wanderley Elian

24 comentários:

  1. Amigo Wanderley, Precioso poema, lindas palabras y sutil armonía. Me gustó mucho.
    Me he permitido hacerme seguidor de tu blog.
    Gracias.
    Un abrazo.
    Jecego.

    ResponderExcluir
  2. Amigo Wanderley. Precioso poema, me gustó su delicado contenido, su bellez y armonía.
    Un abrazo.
    Jecego.

    ResponderExcluir
  3. Realmente adoro as imagens que pões para acompanhar os poemas :b muito bom mesmo

    ResponderExcluir
  4. Os textos que você seleciona aqui são de um bom gosto incrível, Wanderley.
    Nada como um Mário Quintana pra começar o dia, né?

    ResponderExcluir
  5. E que a nossa felicidade se renove a cada dia, para completar o comentário acima.

    Que a esperança se renove, sempre!

    ResponderExcluir
  6. Oi, querido Wanderley. De novo, amei, só pra variar, né? E só podia ser do menino Poeta, que amo!
    Já que gostou do meu jeito do mato, deixo ele pra aqui para você.

    *JEITO DE MATO

    De onde é que vem esses olhos tão tristes?
    Vem da campina onde o sol se deita
    Do regalo de terra que teu dorso ajeita
    E dorme serena, no sereno e sonha
    De onde é que salta essa voz tão risonha?
    Da chuva que teima, mas o céu rejeita
    Do mato, do medo, da perda tristonha
    Mas, que o sol resgata, arde e deleita
    Há uma estrada de pedra que passa na fazenda
    É teu destino, é tua senda onde nascem tuas canções
    As tempestades do tempo que marcam tua história,
    Fogo que queima na memória e acende os corações
    Sim, dos teus pés na terra nascem flores
    A tua voz macia aplaca as dores
    E espalha cores vivas pelo ar...
    Sim, dos teus olhos saem cachoeiras
    Sete lagoas, mel e brincadeiras
    Espumas, ondas, águas do teu mar...

    Almir Sater/Paula Fernandes*

    + Beijos
    + Muito obrigada
    Ótimo Fim de Semana

    ResponderExcluir
  7. Wanderley,que delícia de ler essa poesia!Adorei!Abraços,

    ResponderExcluir
  8. Boa tarde,
    Mario Quintana é tudo de bom,ñ poderia ter feito uma escolha melhor.
    Parabéns.
    Um beijo grande.

    ResponderExcluir
  9. É a nossa vida, amigo. Vivemos no "arame" esperando o "grand finale".

    Bj.

    ResponderExcluir
  10. Sonhar é aprender, é nossa vida, paz.

    ResponderExcluir
  11. Simplesmente lindo o poema,,,meu amigo,,,estava eu ontem em plena Av. Amazonas quando aquele ceu desabou...rs..rs..rs..foi agua pra todo lado,,,e nao refrescou....abraços de bom sabado.

    ResponderExcluir
  12. Olá. Desculpe vir assim... meio na “correria”; mas é que estou divulgando meu último trabalho e gostaria de saber sua opinião sobre este assunto atual e sempre instigante; falo do conto “O Diário de Bronson” que trata do tema vaidade e verdades.
    Espero a sua visita e prometo retornar com melhores modos e mais tempo. (sorrio).
    Jefhcardoso do http://jefhcardoso.blogspot.com. Parabéns por seu blog e bela postagem!

    ResponderExcluir
  13. Concordo em genero, numero e grau quando dizem que suas seleções de textos são de muito bom gosto.
    Um menino, a vida, um circo, assim é a vida.
    Muito bom!

    Forte abraço e um excelente final de semana.

    ResponderExcluir
  14. Aquilo que está escrito no coração não
    necessita de agendas porque a gente não esquece.
    O que a memória ama fica eterno.

    (Rubem Alves)


    BOM FDS PRÁ TI.......M@RIA

    ResponderExcluir
  15. Mister Brophusir
    Saudações
    Eles não são contínuas e da Acrobath

    Saudações

    ResponderExcluir
  16. Nada como a imaginação de uma criança. O que teria por baixo? E assim, essa curiosidade é que não morre nunca nos homens rs...Um fascínio pelo "escondido",assim com a lona do circo, tem que entrar para assistir o espetáculo.
    Então amigo, escrevi uma histórinha infantil em 95 sobre o soldadinho de chumbo, e agora veio como lágrimas, enfim, eu nunca vi um a não ser em desenhos e livros infantis,bem que você poderia fotografá-los e postar aqui. Te agradecerei muito. Montão de bjos e abraços infantis

    ResponderExcluir
  17. Meu querido
    lindo poema.
    realmente a vida é um circo e nós vivemos no arame.

    beijinhos
    Sonhadora

    ResponderExcluir
  18. Obrigado meu linda pela visita.
    Um beijo grande e uma linda noite.

    ResponderExcluir
  19. Que delícia lembrar dessa esperança desmedida de que as coisas talvez aconteçam como esperamos, quando somos crianças. =)

    Eu sinto tanta saudade da minha infância.

    Beijoca!

    ResponderExcluir
  20. Adoro as suas escolhas! Diversificadas e especiais!
    Bom início de semana!
    Jr.

    ResponderExcluir
  21. Adoro as suas escolhas! Diversificadas e especiais!
    Bom início de semana!
    Jr.

    ResponderExcluir
  22. Wanderley, este é um encanto, assim como os croações dos meninos!!! Amei!! Bjs!

    ResponderExcluir
  23. Oi! Wander!
    Este poema me levou a pensar - na menina equilibrista patinando no gelo< ela dança com uma leveza> seus olhos brilham tanto> e um olhar perplexo de jovem na platéia ...

    Un abraço! Boa semanap/vc*

    ResponderExcluir

passou por aqui . deixe sua impressão . obrigado

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...