quarta-feira, 2 de junho de 2010

Cortar o tempo




Quem teve a idéia de cortar o tempo em fatias a que se deu o nome de ano,
foi um indivíduo genial.
Industrializou a esperança, fazendo-a funcionar no limite da exaustão.
Doze meses dão para qualquer ser humano se cansar e entregar os pontos.
Aí, entra o milagre da renovação e tudo começa  outra vez, com outro número e
outra vontade de acreditar que daqui pra adiante vai ser diferente.


Carlos Drummond e Andrade

Wanderley Elian

33 comentários:

  1. Em sonho vireis delicadamente
    e sem motivo algum
    direis palavras amáveis
    que vos surpreenderiam
    se vos fossem contadas.

    Cecília Meireles

    Boa Noite e Beijos meus! M@ria

    ResponderExcluir
  2. Olá Wanderley, obrigado pelo comentário no Dias Diários, fico muito feliz quando comenta as loucuras que posto heheh. O seu blog continua ótimo. E sobre o tema da minha postagem hehehe, foi um momento de revolta, palavras impensadas, mas, contudo, um grande medo, de que o que eu escrevi seja verdade, prefiro pensar que estou errado; e o motivo que deixei postado... quero que as pessoas me mostrem o contrário para que eu possa enxergar como elas. Um grande abraço, meu bom amigo.

    ResponderExcluir
  3. Querido amigo, realmente o tempo não é cortado, é contínuo, mas sem dúvida, a idéia contida em seu fatiar, ajuda a lembrarmos que sempre podemos nos renovar...a cada dia, a cada mes...a cada novo ano...
    Um dia lindo pra ti...
    Beijos
    Valéria

    ResponderExcluir
  4. Lindo! Drummond toca ponto certo ! Sempre en.frente e tudo é diferente! Adorei,Wanderley*


    Descobri que te amo demais

    Descobri em você minha paz

    Descobri sem querer a vida

    Verdade!...

    Prá ganhar teu amor fiz mandinga

    Fui a ginga de um bom capoeira

    Dei rasteira na sua emoção

    Com o seu coração fiz zueira...

    Fui a beira do rio e você

    Com uma ceia com pão

    Vinho e flor

    Uma luz prá guiar sua estrada

    A entrega perfeita do amor

    Verdade!...

    Descobri que te amo demais

    Descobri em você minha paz

    Descobri sem querer a vida

    Verdade!

    Como negar essa linda emoção

    Que tanto bem fez pro meu coração

    E a minha paixão adormecida...

    Meu amor, meu amor, incendeia

    Nossa cama parece uma teia

    Teu olhar uma luz que clareia

    Meu caminho tal qual, lua cheia...

    Eu nem posso pensar te perder

    Ai de mim esse amor terminar

    Sem você minha felicidade

    Morreria de tanto penar

    Verdade!...
    Zeca Pagodinho

    Beijos, querido*********
    Bom Dia!

    ResponderExcluir
  5. Só Drummond para explicar tão bem o ano.
    Genialidade.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  6. Pois é, Wanderley... e 2010 parece estar ainda mais partido que o normal, já estamos no meio do ano! O tempo "urge"!rs
    Boa quarta.
    Jr.

    ResponderExcluir
  7. Carlos Drumond ele é fascinante com seu fascinio pelo simples fato de viver a vida com verdade, com intensidade.
    Beijos Wanderley

    Aryane Pinheiro.:
    (brilho da lua)

    ResponderExcluir
  8. Carlos Drumond ele é fascinante com seu fascinio pelo simples fato de viver a vida com intensidade e com verdade.
    Beijos Wanderley

    Aryane Pinheiro.:
    (brilho da lua)

    ResponderExcluir
  9. E são essas fatias de tempo que nos levam pra onde nem sabemos ao certo onde é...abraços amigo e uma bela quarta pra ti...por aqui,,,,friiiiiioooooo

    ResponderExcluir
  10. Ah não... Drummond é a minha paixão... Então sempre será perfeito... Ele é perfeito...

    Abração...

    ResponderExcluir
  11. O tempo senhor de tudo...
    Bjos achocolatados

    ResponderExcluir
  12. buen post mi amigo. excelente pensamiento.
    un abrazo

    ResponderExcluir
  13. Wanderley,

    Esse texto de Drummond considero um dos mais importantes..."cortar o tempo em fatias", para que as esperanças sejam sempre renovadas...mesmo que o tempo seja indivizível, único, nos dá a impressão de etapas vencidas....Gosto muito.

    Um grande beijo e ótimo feriado!

    Reggina Moon

    ResponderExcluir
  14. Sábio Drummond...
    E você Wanderley sempre nos presenteando com ótimos escritos, seus ou outros pensamentos sempre reflexivos! Adoroooooooooo!
    Obrigada pelo comentário no blog e desculpe aquela baixaria, rsrs.
    Saudades eu estava daqui!
    Beijos querido...

    ResponderExcluir
  15. Meu Querido
    Drumond tem razão... se o tempo não fosse fatiado em anos...teríamos uma maratona... e só três...ficariam no Podium!!
    Beijo
    Graça

    ResponderExcluir
  16. Oi Wanderley,

    não conhecia esse excerto de Drummond. Interessante e genial como o poeta.

    Um grande abraço!

    ResponderExcluir
  17. Essa eh a mais pura verdade. Adoro Drummond

    ResponderExcluir
  18. Meu querido
    Adoro este texto de Drummond.

    Beijinhos
    Sonhadora

    ResponderExcluir
  19. Realmente o tempo não para, e temos a chance de um novo recomeço sempre.
    Tudo de bom para você.
    Paz e Luz.
    Bj

    ResponderExcluir
  20. Querido poeta, eu aplaudo o Drummond e teu brilhantismo em trazer a lume tão nobre verdade.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  21. Olá amigo, fatiar o tempo... realmente se pensarmos bem ele(o tempo) está em fatias. Grande poeta e linda homenagem. Toda a gente diz que o tempo passa. Minha avó me dizia que o tempo não passa... nós é que passamos pelo tempo, pois nós partimos e o tempo fica. Beijo meu

    ResponderExcluir
  22. Drumond é maravilhoso sempre! abraços,tudo de bom,chica

    ResponderExcluir
  23. Obg pelas visitas carinhosas e comentários!
    Qto ao texto do Drummond, o que é o tempo? Saiba que lembrou-me um poeminha de Quintana:
    "Sempre que chove/tudo faz tanto tempo.../e qualquer poema que acaso eu escreva/vem sempre datado de 1779."
    Abçs! Bom feriado!

    ResponderExcluir
  24. Wanderley

    Venho

    Tenho andado escondida...
    hoje cheguei...

    Vim deixar beijinhos.
    e algumas letras para dar noticias.
    Eu sou forte...

    já há 1 semana que senti muitas dores no meu joelho. Fui às urgências a semana passada andei de cá para lá e vim para casa a tomar uns comprimidos para a
    dor (voltaren).
    segunda feira dei aulas em três escolas diferentes...
    Sobe escadas desce escada..
    às 2 horas já me fui arrastando pelos corredores...
    às 5 e 30 fui para casa e o meu joelho estalou
    fiquei parada e senti que estava mal. não dei mais um passo .
    As dores eram muitas...
    hospital...
    cadeira de rodas...
    Radiografia...

    Injecção para a dor..
    Fractura...
    concerteza ter que colocar prótese

    Mas...
    ir ao meu médico...
    ter alta...
    colinho e cama...

    ontem..
    tudo de novo...

    Hospital militar
    cadeira de rodas.
    Novas radiografias..(as de aveiro são de aveiroe ficaram com elas...)

    a medicação para atenuar as dores...
    passei para as canadianas...

    As dores são muito menores...


    repouso absoluto

    e consulta dia 30 de Junho para ver o que fazer...

    Agora tratar da inflamação...

    sou mesmo rija...

    Pensei e senti que ia ficar paralizada.. foi pensamento de momento...mas deu para assustar e deitar uma lágrima...

    Já me Desloco devagar... portanto já sou gente.
    Agora deixo beijinho

    Lili laranjo

    ResponderExcluir
  25. "A verdadeira essência das coisas, só o coração pode
    ver, com a sensível alma que o faz viver. Quando a
    alma, retorna a sua origem divina, o coração para de bater. Somente a alma sobrevive no plano divino,
    aguardando um novo alvorecer."

    ''Elias Akhenaton''

    Boa Noite e beijos meus...M@ria

    ResponderExcluir
  26. ooooi =)

    Só pra dar um recado! Tomei vergonha na cara! kk. Não vou mais deixar o blog de lado. E muito menos os amigos. Se eu for tentar ler tudo que eu ainda não li (como estava tentando fazer), seria impossível voltar ao meu ritmo normal, hehe.

    Ma, quanto a esse post, delas palavras de Drummond. =) Não é um ano novo, mas vou tentar me renovar nesse novo mês que se inicia. ;)

    Abraço!

    ResponderExcluir
  27. Grande Drummond.

    O tempo regalo de palavras, Presente, Passado, Pretérito, Futuro.Nós, escravos de horas, dias, meses e vai-se por aí.Senhor dos limites, das atitudes, pensamentos.
    Somos nós viajantes do tempo,sempre.

    Abraço e Beijo.

    ResponderExcluir
  28. Olá amigo! O Drummond dispensa comentários. Maravilhoso! Bela escolha. Parabéns!

    Abraços e ótimo feriado.

    Furtado.

    ResponderExcluir
  29. Olá, amigo,
    Excelente post!!
    É verdade, "Doze meses dão para qualquer ser humano se cansar e entregar os pontos".
    Aí vem o recomeço. Quer coisa melhor?
    Bjsssssssss

    ResponderExcluir
  30. Sempre gostei desse poema de Drummond. O tempo cronológico foi criado como uma forma de consolo, de ilusão.

    Abraços, Wanderley e ótimo feriado.

    ResponderExcluir
  31. Estamos no tempo em fatias do Drumond e em pedacinhos de agora como o do Quintana, que nós tenhamos a felicidade de compartilhar todo amor que houver e construir boas trocas uns com os outros! Tenha um poético fim de semana aproveitando cada fatia e pedacinho de agora e sempre! bjs!

    ResponderExcluir
  32. Vou dizer algo que Roberto Carlos disse, só encaixando na poesia de Drummond..."Daqui pra frente, tudo vai ser diferente"
    E que esse diferente, seja pra melhor, sempre, sempre.

    Beijos e um delicioso feriado meu querido.

    ResponderExcluir
  33. Otimo texto....
    O tempo...Passa...passa o tempo sempre!
    Bjos!

    ResponderExcluir

passou por aqui . deixe sua impressão . obrigado

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...