segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

Desastre




Há quem pretenda
que seu poema seja
mármore
ou cristal - o meu
o queria pêssego
Pêra
Banana apodrecendo num prato
e se possível
numa varanda
onde pessoas trabalhem e falem
e donde se ouça
o barulho da rua.
Ah quem me dera
o poema podre!
a polpa fendida
exposto
o avesso da voz
minando
no prato
o licor a química
das sílabas
o desintegrando-se cadáver
das metáforas
um poema
como um desastre em curso.


Ferreira Gullar


Wanderley Elian

27 comentários:

  1. Nossa, uma essencia tão intensa...Pensei nas pessoas que têm medo de viver..Acaba que sua vida fica tão insossa que nada tem pra contar, pra lembrar nenhuma motivação..fria como marmore.

    Abraço Vander!!!
    Boa semana..

    ResponderExcluir
  2. Gosto deste poema e de vc, meu querido.
    Tenha uma linda semana.
    Obrigada pela apreciação.
    Beijos Renata

    ResponderExcluir
  3. Muito pleno,,,retrata a alma do poeta em relação ao seu sentimento que é o poema...abraços amigo e otima semana.

    ResponderExcluir
  4. À s vezes é preciso abanar a árvore da existência para caírem as folhas velhas. Talvez seja por isso que eu não quero saber quem pintou o céu de azul, mas eu quero é o resto da tinta, porque nós podemos matar o tempo, mas é sempre ele que nos enterra.
    Gostei muito de vir aqui visitar o teu belo espaço. No carácter, na conduta, no estilo, em todas as coisas, a simplicidade é a suprema virtude. O destino une e separa pessoas. Mas nenhuma força é tão grande para fazer esquecer pessoas, que por algum motivo um dia nos fizeram feliz!
    Boa semana!

    ResponderExcluir
  5. Bom dia.

    Eu na verdade só quero que minhas palavras que por vezes se tornam texto, poesia, prosa boa de alguma coisa viva dentro de quem o ler, se apodrecer ao menos servirá de adubo.

    Renata, boa semana.

    P.S - Muito obrigada por visitar-me, sempre uma alegria.

    ResponderExcluir
  6. O Ferreira abala...adorooooo.

    Te desejo um ótimo final de semana.



    abraços


    Hugo

    ResponderExcluir
  7. Vida pura,meu amigo aqui em oráculo seu emanas e sussurras!
    te amu,pessoa linda e amiga nossa!

    Tu escriba és!

    Viva La Vida!

    ResponderExcluir
  8. Há quem pretenda, não só os poemas, mas que mudemos nossas vidas.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  9. Poesia forte,bem ao estilo de Ferreira Gullar!Eu já não queria um poema assim!Prefiro os mais novinhos,feito botão em flor!Abraços,

    ResponderExcluir
  10. Muito especial. Aliás, raras são as coisas ditas por Ferreira Gullar que não obedecem a essa lógica!
    Beijos.
    Jr.

    ResponderExcluir
  11. Caraca! Esse não conhecia,mas, me fez lembrar Augusto dos Anjos.Fiz uma homenagem a ele qdo estudava de tão chocada que fiquei rs... Bjs

    ResponderExcluir
  12. Muito bom! Ótima semana pra vc!

    ResponderExcluir
  13. Pois é wanderley, fiz o poema meio na pressa dentro do ônibus, mas ela adorou.hehe
    Aquela lesinha.

    Belo poema de Gullar,muito bom seu post amigo.
    Parabéns.
    Abraço!

    ResponderExcluir
  14. Nossa, tamanha intensidade e exposição só podi ser Ferreira Goulart! É Muito bom a verdade das coisas. Bjs!

    ResponderExcluir
  15. Quem sabe um poema para ser sentido e apreciado...paz.

    ResponderExcluir
  16. Não conhecia, mas adorei.

    Beijos e uma linda semana pra você meu querido.

    ResponderExcluir
  17. Simplesmente belo e lindo amigo.
    Como vc. nunca mais foi eu vim..
    Espero te encontrar por lá.
    Os meus seguidores, moram dentro do meu coração.
    Venha..
    Te espero.
    Acesse os links e participe dos outros.
    Com muito carinho
    Sandra

    ResponderExcluir
  18. WANDERLEY
    Muito obrigado pela visita.
    Votos de boa semana.
    Abç
    G.J.

    ResponderExcluir
  19. Querido Wan,

    Interessante como cada um interpreta o poema ao seu modo... por isso que amo poemas! Faz-no viajar!

    Este, de Gullar, parece-me bem forte... eu entendo que ele quis dizer que prefere compartilhar com as pessoas a verdade, nua e crua, sem delongas, sem máscaras e "frescuras"!
    Afe, talvez eu tenha viajado nesta poesia!! rsrs..

    Ótima semana para você, meu querido!!

    Beijo!!!

    ResponderExcluir
  20. Eu tenho a mesma opinião do Gullar, não adianta ser de mármore ou cristal e viver protegido, escondido. Prefiro-o podre, mas que seja divulgado e que chegue ao público.

    Muito profundo meu amigo.

    Abraços e ótima semana pra ti.

    Furtado.

    ResponderExcluir
  21. Eu me declaro como uma parte desse Desastre assim como muitos devem fazer muitas linhas e saem tortas, e assim refazemos e refazemos ...
    É assim que a vida segue !

    "O desintegrando-se
    cadáver das metáforas ...
    um poema,
    como um desastre em curso".

    Perfeita!

    ResponderExcluir
  22. No aprecio bien el poema por el idioma pero me enczantan las imagenes que lo acompañan:Saludos

    ResponderExcluir
  23. Belissima expressao...
    Quem me dera...

    beeejo

    ResponderExcluir
  24. E são assim os melhores poemas, sem pretensão.

    Bela escolha!!!

    Beijo de carinho!!!

    ResponderExcluir
  25. Somos como frutas , por mais que duramos um dia vamos apodrecendo.
    Bom creio que é uma vizão um pouco pessimista levando em conta o momento que vivo.


    PS:suas palavras não cairão em no vazio, ao contrario servirão de injeção de ânimo.
    Obrigado pelas belas palavras e gentilezas que sempre teve comigo.
    Obrigado pelo carinho e saiba que é reciproco.
    Vou me ausentar por um tempo, por motivo de força maior, mas eu volto.
    Beijo no coração me amigo e até logo se Deus quiser.

    ResponderExcluir
  26. Adoro Ferreira Gullar, sua poesia corta como lâmina as certeza de todos nós sobre a vida. Mais um grande poema. =)

    ResponderExcluir

passou por aqui . deixe sua impressão . obrigado

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...