quarta-feira, 31 de março de 2010

Experimente me amar!



Pode invadir ou chegar com delicadeza, mas não tão devagar que me faça dormir.
Não grite comigo, tenho o péssimo hábito de revidar.
Acordo pela manhã com ótimo humor mas...permita que escove os dentes primeiro.
Toque muito em mim, principalmente nos cabelos e minta sobre minha nocauteante beleza. Tenho vida própria, me faça sentir saudades, conte algumas coisas que me façam rir, mas não conte piadas e nem seja preconceituoso, não perca tempo, cultivando este tipo de herança de seus pais.
Viaje antes de me conhecer, sofra antes de mim para reconhecer-me um porto, um albergue da juventude. Eu saio em conta, você não gastará comigo.
Acredite nas verdades que digo e também nas mentiras, elas serão raras e sempre por uma boa causa.
Respeite meu choro, me deixe sózinha, só volte quando eu chamar e, não me obedeça sempre que eu também gosto de ser contrariada. (Então fique comigo quando eu chorar, combinado?).
Seja mais forte que eu e menos autruísta! Não se vista tão bem...gosto de camisa para fora da calça, gosto de braços, gosto de pernas e muito de pescoço. Reverenciarei tudo em você que estiver a meu gosto: boca, cabelos, os pelos do peito e um joelho esfolado, você tem que se esfolar as vezes, mesmo na sua idade.
Leia, escolha seus próprios livros, releia-os. Odeie a vida doméstica e o agitos noturnos. Seja um pouco caseiro e um pouco da vida, não de boate que isto é coisa de gente triste.
Não seja escravo da televisão, nem xiita contra. Nem escravo meu, nem filho meu,nem meu pai. Escolha um papel para você que ainda não tenha sido preenchido e o invente muitas vezes.
Me enlouqueça uma vez por mês mas, me faça uma louca boa, uma louca que ache graça em tudo que rime com louca: loba, boba, rouca, boca...
Goste de música e de sexo, goste de um esporte não muito banal! Não invente de querer muitos filhos, me carregar para a missa, apresentar sua família...isso a gente vê depois...se calhar...
Deixa eu dirigir o seu carro, que você adora. Quero ver você nervoso, inquieto, olhe para outras mulheres, tenha amigos e digam muitas bobagens juntos. Não me conte seus segredos...me faça massagem nas costas. Não fume, beba, chore, eleja algumas contravenções.
Me rapte! Se nada disso funcionar...experimente me amar!

Martha Medeiros

Wanderley Elian

terça-feira, 30 de março de 2010

Uma pintura


Cenário abstrato
do nada e das coisas.
O quadro é a geometria
onde a realidade
troca de lugar,
muda de comportamento.
No cálculo das cores
a visibilidade
não nega
a ordem do imaginário.

Almandrade

Wanderley Elian

sábado, 27 de março de 2010

Ética e Moral


A confusão que acontece entre as palavras Moral e Ética existe há muitos séculos. A própria etimologia destes termos gera confusão, sendo que Ética vem do grego “ethos” que significa modo de ser, e Moral tem sua origem no latim, que vem de “mores”, significando costumes.
Esta confusão pode ser resolvida com o esclarecimento dos dois temas, sendo que Moral é um conjunto de normas que regulam o comportamento do homem em sociedade, e estas normas são adquiridas pela educação, pela tradição e pelo cotidiano. Durkheim explicava Moral como a “ciência dos costumes”, sendo algo anterior a própria sociedade. A Moral tem caráter obrigatório.
Já a palavra Ética, Motta (1984) defini como um “conjunto de valores que orientam o comportamento do homem em relação aos outros homens na sociedade em que vive, garantindo, outrossim, o bem-estar social”, ou seja, Ética é a forma que o homem deve se comportar no seu meio social.
A Moral sempre existiu, pois todo ser humano possui a consciência Moral que o leva a distinguir o bem do mal no contexto em que vive. Surgindo realmente quando o homem passou a fazer parte de agrupamentos, isto é, surgiu nas sociedades primitivas, nas primeiras tribos. A Ética teria surgido com Sócrates, pois se exigi maior grau de cultura. Ela investiga e explica as normas morais, pois leva o homem a agir não só por tradição, educação ou hábito, mas principalmente por convicção e inteligência. Vásquez (1998) aponta que a Ética é teórica e reflexiva, enquanto a Moral é eminentemente prática. Uma completa a outra, havendo um inter-relacionamento entre ambas, pois na ação humana, o conhecer e o agir são indissociáveis.
Em nome da amizade, deve-se guardar silêncio diante do ato de um traidor? Em situações como esta, os indivíduos se deparam com a necessidade de organizar o seu comportamento por normas que se julgam mais apropriadas ou mais dignas de ser cumpridas. Tais normas são aceitas como obrigatórias, e desta forma, as pessoas compreendem que têm o dever de agir desta ou daquela maneira. Porém o comportamento é o resultado de normas já estabelecidas, não sendo, então, uma decisão natural, pois todo comportamento sofrerá um julgamento. E a diferença prática entre Moral e Ética é que esta é o juiz das morais, assim Ética é uma espécie de legislação do comportamento Moral das pessoas. Mas a função fundamental é a mesma de toda teoria: explorar, esclarecer ou investigar uma determinada realidade.
A Moral, afinal, não é somente um ato individual, pois as pessoas são, por natureza, seres sociais, assim percebe-se que a Moral também é um empreendimento social. E esses atos morais, quando realizados por livre participação da pessoa, são aceitas, voluntariamente.
Pois assim determina Vasquez (1998) ao citar Moral como um “sistema de normas, princípios e valores, segundo o qual são regulamentadas as relações mútuas entre os indivíduos ou entre estes e a comunidade, de tal maneira que estas normas, dotadas de um caráter histórico e social, sejam acatadas livres e conscientemente, por uma convicção íntima, e não de uma maneira mecânica, externa ou impessoal”.
Enfim, Ética e Moral são os maiores valores do homem livre. Ambos significam "respeitar e venerar a vida". O homem, com seu livre arbítrio, vai formando seu meio ambiente ou o destruindo, ou ele apóia a natureza e suas criaturas ou ele subjuga tudo que pode dominar, e assim ele mesmo se torna no bem ou no mal deste planeta. Deste modo, Ética e a Moral se formam numa mesma realidade.

Thiago Firmino Silvano

Wanderley Elian


sexta-feira, 26 de março de 2010

Sonhos



Viajou nas
asas do sonho
até o reino encantado,
lá,encontrou
seu príncipe,
seu castelo,
e um cavalo
branco,
quando as asas
se partiram
voltou à realidade
e percebeu
que sonhos,
são só
sonhos...

Wanderley Elian

quarta-feira, 24 de março de 2010

Aprisionamento



Escondo no fio
da navalha
o frio
que a alma cala...
Medo
de desvendar
o segredo da morte,
ou
quiçá apressar
a nefanda.
Tenho fobia
a fila
que não anda.

Elza Fraga

Wanderley Elian

terça-feira, 23 de março de 2010

Conselho util...



"No caso de separação, senhoras, sejam fortes e independentes. E lembrem-se: não fiquem com raiva, fiquem com tudo!"

Ivana Trump

domingo, 21 de março de 2010

É outono



É outono,
e eu nem vi passar
o verão,
talvez porque seja
inverno em meu
coração,
que aguarda a 
primavera
do teu amor.

Wanderley Elian

sábado, 20 de março de 2010

sexta-feira, 19 de março de 2010

Diálogos da vida.




- Então a moda agora é limpeza de cólon. Tá todo mundo fazendo. Meu amigo trabalha numa clínica e disse que o tratamento mais buscado é esse.



- Limpeza de cólon é o tratamento esse que enfiam uma mangueira no teu rabo e vão soltando agua?



- É! tava até pensando em montar um negócio, tipo esses furgões de dentista que você vê agora. Hoje em dia tem furgão de dentista, tem pra doar sangue, tava pensando em montar um cólon-móvel, um furgão pra ir de cidade em cidade oferecendo limpeza de cólon. Colocava um auto-falante pra ir anunciando "Alô dona de casa, alô trabalhador! Está passando o cólon-móvel, limpamos seu intestino das impurezas que ele não consegue expulsar. É 100% indolor". Daí estacionaríamos numa praça e íamos atendendo as pessoas uma por uma. Quer montar sociedade?
- Sei não. Na clínica isso dá certo porque há privacidade. Você vê a pessoa entrar num centro de estética e essa pessoa pode estar indo tanto pra cortar as unhas quanto pra meter água pelo cu. No furgão, não! Quem ia ter coragem de entrar lá se expondo para que todo mundo fique sabendo que andou limpando o cólon? E a fila? Quem ia ficar numa praça pública esperando sua hora de entrar no furgão do rabo limpo?

- Ah, mas isso dá pra resolver. A gente ia botar uma placa assim "Vendemos pão de queijo e limpamos cólon". Pronto, o pessoal pode mentir que tá na fila pro pão de queijo.

- Ah, ia ter um forninho pra pão de queijo no mesmo furgão?

- Não, pô. Ia ser só fachada.

- Mas e se alguém fosse lá pelo pão de queijo mesmo?

- Afe! Você compraria pão de queijo num furgão que se dedica a limpar cólon?

- Ah, sempre tem um, duvido de nada. Pode estar com fome, ué.

- Tá, então fazemos assim: "Leitura de Tarot e limpeza de cólon"

- Sabe ler tarot?

- Parei contigo.

Referência:


quinta-feira, 18 de março de 2010

Casa dos políticos já !!!




A cantora Rita Lee, teve uma daquelas brilhantes
idéias, dignas do seu gênio criativo.
Reclamando da inutilidade de  programas como
o Big Brother, ela deu a seguinte sugestão:
Colocar os pré-candidatos a presidência da 
República, trancados em uma casa, debatendo e
discutindo seus respectivos programas de governo.
Se marqueteiros, sem assessores, sem máscaras e
sem discursos ensaiados.
Toda semana, o público votaria, e eliminaria um.
No final do programa, o vencedor ganharia o
cargo máximo do país.
Além de acabar com o enfadonho horário político,
a população conheceria o verdadeiro caráter dos
candidatos.
Assim, quem financiaria essa casa seria o repasse
de parte do valor dos telefonemas, que a casa
receberia e ninguém mais precisaria corromper
empreiteiras ou empresas de lixo, com a alegação
de cobrir o fundo de campanha.
A idéia não é incrivelmente boa?

CASA DOS POLÍTICO JÁ!!!

Texto publicado por Zeze Mendes
http://refletindo-ideias.blogspot.com/

quarta-feira, 17 de março de 2010

Os homens de minha vida


Jime Hendrix - Por sua guitarra e rebeldia

Che Guevara - Por sua coragem e determinação

Chico Buarque - Por seu talento incomparável

John Lennon - Porque o sonho não pode acabar

Jesus Cristo - Porque acreditou que podia dar certo

Paulo Roberto - Porque é fundamental em minha vida


Wanderley Elian







terça-feira, 16 de março de 2010

O monge mordido




      Um monge e seus discípulos iam por uma estrada e, quando passavam por uma ponte, viram um escorpião sendo arrastado pelas águas. O monge correu pela margem do rio, meteu-se na água e tomou o bichinho na mão. Quando o trazia para fora do rio o escorpião o picou. Devido à dor, o monje deixou-o cair novamente no rio. Foi então à margem, pegou um ramo de árvore, voltou outra vez a correr pela margem, entrou no rio, resgatou o escorpião e o salvou. Em seguida, juntou-se aos seus discípulos na estrada. Eles haviam assistido à cena e o receberam perplexos e penalizados.
     — Mestre, o Senhor deve estar muito doente! Por que foi salvar esse bicho ruim e venenoso? Que se afogasse! Seria um a menos! Veja como ele respondeu à sua ajuda: picou a mão que o salvava! Não merecia sua compaixão!
     O monge ouviu tranqüilamente os comentários e respondeu: — Ele agiu conforme sua natureza e eu de acordo com a minha.
(desconheço o autor) 

Wanderley Elian

segunda-feira, 15 de março de 2010

Poetrix



Minh'alma orgulhosa,
Por vezes trafega apoiada
Em frágeis muletas.

Ana Katerine

Wanderley Elian

domingo, 14 de março de 2010

Noturno



Meu pensamento em febre
é uma lâmpada acesa
a incendiar a noite.

Meus desejos irriquietos,
à hora em que não há socorro,
dançam livres, como libélulas
em redor do fogo.

Henriqueta Lisboa

Wanderley Elian

sábado, 13 de março de 2010

O fim...



E serás
feito a saudade
que se esvai como
as nuvens...
Ninguém lembrará
do teu sorriso,
dos teus olhos
dos teus planos.
Serás apenas uma
foto a amarelar num
álbum,
até morreres
completamente...

Wanderley Elian

sexta-feira, 12 de março de 2010

quinta-feira, 11 de março de 2010

Aconteceu alguma coisa



Dois guardas à porta, barrando a passagem. O bolo de gente na calçada, espichando pescoço para assuntar.
- Vai ver que mataram alguém no edifício.
- Com certeza assaltaram o banco, e...
- Que banco? Não está vendo que não tem banco nenhum aí?
- Já sei. Pegaram lá em cima um grupo de subversivos, e eles estão encurralados, não querem se render. Não saio daqui enquanto os caras não aparecerem.
Cresce a confusão. Tão rápido, que até parece organizada. Todo mundo colabora para que seja total. E fala, fala.
- Olha aquela velha desmaiando!
- Velha coisa nenhuma, é uma lourinha muito da bacana.
E não está desmaiando, está é brigando de unha e dente, alguém apalpou ela ou afanou a bolsa.
- Te garanto que houve morte. Um padre abriu caminho e entrou lá dentro, apesar dos guardas. Padre mesmo, desses de batina, sacumé?
- Se o cara já morreu, não adianta ele entrar, ora essa. Salvo se ainda está agonizando. E quem garante a você que por estar de batina esse que entrou lá mão é padre de araque? Tem muita falsificação pelaí.
- Não estou vendo fumaça.Incêndio não é.
- Pode ser nos fundos. Espera até a fumaça aparecer. O último incêndio que eu assisti, na Tijuca, levou horas para combater.
- Quem sabe foi uma manicure que se atirou no pátio? Já vi um caso assim.
- Por essa e por outras é que só moro em casa, e térrea, sem escada, para não dar grilo. Eu, hem?
- É, mas tem muito inconveniente. Nas casas baixas a poluição é servida a domicílio.
- Repara aqueles dois entrando na raça.
- E na raça foram rechaçados, tá vendo?
- Pronto, interditaram o edifício.
- Pior. Estão esvaziando o edifício.
- Corta essa. Todo mundo tem direito de entrar e direito de sair. E os que trabalham lá em cima, por irão deixar de trabalhar? O que precisam subir para ir ao dentista, ao médico, sei lá, com que direito são impedidos? Tá errado. Qual, isso é um país sem...
- Calma, Secundino. Acho bom você moderar suas expressões.
- É, mas o Senador Farah Diba entrou com passe livre, espia só!
- Não tem Senador com esse nome, sô.
- Tem um parecido, mas é deputado.
- Deputado ou não, com esse ou com outro nome, mas entrou. Eu vi.
- Então não há tragédia, ele não é de ir aonde pega fogo.
- Cerraram as portas de aço!
- Isso tá me cheirando a elevador despencado. Não tem dia que não caia um em Copacabana. E essa ambulância que não vem? Devia ter sempre uma ambulância de plantão na porta de cada edifício.
- O diabo são os palestinos. Imagina se a carteiro deixou na portaria uma daquelas cartas com bomba...
- Já não se tem onde morar sossegado. Até entrar pelo cano é perigoso. Lá dentro tem
assaltante à espera.
- E na rua então? Que é que nós estamos fazendo aqui, ameaçados de todos os lados, prestando atenção num negócio que não é da nossa conta, me diga o senhor?
- Sei lá. Mas agora está saindo um caixotão, não atino o que seja. Quem sabe se não é
um novo crime da mala!
- Nem me fale nisso. Só de pensar, fico toda arrepiada; passe a mão no meu braço, veja como estou. Cortar um pobre de Cristo em fatias, feito mortadela, depositar na mala e despachar de avião!
- Era de trem que as malas com cadáveres se despachavam, sua ignorante.
- Isso foi no seu tempo, vovozinho. Hoje, quem é que passa para trás o avião para dar preferência a trem de ferro?
- Pois então vamos chegar perto e espiar o caixão do defunto.
- Não é caixão, gente, é geladeira!
- O quê? O defunto estava dentro da geladeira?!
- Ah, meu chapa, tu não morou que isso é uma liquidação de eletrodomésticos?


Carlos Drummond de Andrade

Wanderley Elian


quarta-feira, 10 de março de 2010

Depois...



Deve haver algo
antes da 
meia-noite,
antes da última
garrafa,
antes da 
solidão.
Deve haver algo
depois que o
dia acaba,
depois que o amor
termina,
depois que 
a morte 
chega.

Wanderley Elian

terça-feira, 9 de março de 2010

Poetrix



Nem santo, nem certo
nem anjo, nem manso
quero demônios, quero hormônios

Déa Vilanella


Wanderley Elian
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...