segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Escuro...




O escuro cobre-me, 
Uma pequena luz grita, 
Estou aqui, 
Revelo-me, 
Chove emoções ao rubro, 
Guio-me para a realidade, 
Um salto ou dois… 
Dou voltas e mais voltas, 
Espero e olho em redor… 
Estás na plenitude… 
Chego a ti e morro.

Catarina Cabral

Wanderley Elian

sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

É nóis na fita.


A moça, de família, patricinha, se preparou toda para ir ao ensaio de uma escola de samba, no morro.
Chegando lá, um sambista suarento e banguela pede para dançar com ela e, para não arrumar confusão, ela aceita.
Mas o sambista suava tanto que ela já não estava suportando mais! A moça foi se afastando, e disse:
- Você sua, hein!
Ele a puxou, lascou um beijo e respondeu:

- Também vô sê seu, Princesa! É nóis na fita!

Fonte:
Blog do meu amigo Calos Rosa


quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

Cruz do fim-de-semana













Cancelado, cansado, camuflado, tudo consumado, eis o meu amor!
Dia terminado sexta-feira-da-exaustão e eu pela cruz que carrego...
me entrego, tombado, exaurido, condoído, patrão de mim, consumo a dor...concebo a graça de ser embriagadamente um consolador...
Deito por cima das horas, ressuscitado pelo galo traidor!!!

Jasper Carvalho

Wanderley Elian




segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

Cornos



Já parado, deixo sentir o ódio
Sem dormir, em silêncio
Respiro e solto-me, lúgrebe episódio
Não te quero mais e presencio
Na solidão o meu orgulho desfeito
A minha paixão destuída
E é no mais clamoroso despeito
Que me levanto na manhã traída.

Zarelleci

Wanderley Elian

sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

Enquanto você dormia


Enquanto eu dormia, minha alma apequenada viajou longe, procurando te encontrar novamente, sob o eco dos nossos nãos. Viajei no tempo, viajei no espaço, em vão: você não estava em nenhum dos “lá”. Te encontrei dormindo do meu lado, a quilômetros de distância. Uma certeza quente, ao mesmo tempo tranquila e angustiante.
Veio o dia. E, felizmente, nos encontramos mais uma vez.
Rodrigo Volpini

Wanderley Elian


quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

Amor proibido - VI


Deixo sua lembrança me amanhecer. Abrevio sua face à cabeceira da cama. O dia já não é um qualquer, chega com maior riqueza de significados e até o silencio parece querer me dizer algo. É uma agressão tentar não pensar em você. Infantilizo sentimentos pela manhã para brincarmos de nos desejar pela tarde. As mãos dos meus olhos corrompem distâncias para tocar o seu corpo, ultrapassam qualquer lei existente na física, meu suspiro é minha voz sonolenta tentando te dar um bom dia. Esqueço o relógio, o tempo que você mora dentro de mim não pode ser medido por minutos, o tempo que eu te esqueci foi só uma maneira de te amar mais. Excedo-me para pagar os desejos atrasados, quero te confessar as mais reprimidas vontades que me tomaram de vez em quanto, por todos esses anos. Eu estou atrasado na sua vida, mas estou na sua vida. E agora não somos mais reféns do que aconteceu, somos donos do que estar por acontecer.

Fernando Palma


Wanderley Elian

segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

Reunião de amigos com a passar dos anos




Um grupo de amigos de 40 anos discutiam e discutiam para escolher o restaurante onde iriam encontrar-se para jantar. Finalmente decidiram-se pelo Restaurante O Caipira porque as empregadas usavam mini-saias e blusas muito decotadas.
10 anos mais tarde, aos 50 anos, o grupo reuniu-se novamente e mais uma vez discutiram e discutiram para escolher o restaurante.
Finalmente decidiram-se pelo Restaurante O Caipira porque a comida era muito boa a havia uma ótima seleção de vinhos.
10 anos mais tarde, aos 60 anos, o grupo reuniu-se novamente e mais uma vez discutiram e discutiram para escolher o restaurante.
Finalmente decidiram-se pelo Restaurante O Caipira porque ali podiam comer em paz e sossego e havia ala de fumantes.
10 anos mais tarde, aos 70 anos, o grupo reuniu-se novamente e mais uma vez discutiram e discutiram para escolher o restaurante
Finalmente decidiram-se pelo Restaurante O Caipira porque lá havia uma rampa para cadeiras de rodas e até um pequeno elevador.
10 anos mais tarde, aos 80 anos, o grupo reuniu-se novamente e mais uma vez discutiram e discutiram para escolher o restaurante.
Finalmente decidiram-se pelo Restaurante O Caipira.
Todos acharam que era uma grande idéia porque nunca tinham estado lá antes.

Fonte:
Blog Entrevidas, da minha amiga Amelia

Wanderley Elian


sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

Hora do recreio


O coração em frangalhos o poeta é
levado a optar entre dois amores.
As duas não pode ser pois ambas não deixariam
uma só é impossível pois há os olhos da outra
e nenhuma é um verso que não é deste poema
Por hoje basta. Amanhã volto a pensar neste problema.

Cacaso

Wanderley Elian

segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

Pintura Macabra(mini conto)

.


O pintor estava sem inspiração. Queria pintar uma imagem abstrata, que mexesse com os sentimentos humanos.

Ao abrir o jornal e deparar-se com o terremoto, rendeu-se a megalomania de Deus em superá-lo.

Silvio Vasconcellos

Wanderley Elian

sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

Regra Três




Tantas você fez que ela cansou
Porque você, rapaz
Abusou da regra três
Onde menos vale mais

Da primeira vez ela chorou
Mas resolveu ficar
É que os momentos felizes
Tinham deixado raízes no seu penar
Depois perdeu a esperança
Porque o perdão também cansa de perdoar

Tem sempre o dia em que a casa cai
Pois vai curtir seu deserto, vai.
Mas deixe a lâmpada acesa
Se algum dia a tristeza quiser entrar
E uma bebida por perto
Porque você pode estar certo que vai chorar

Vinicius de Moraes

Wanderley Elian

quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

Ferida

fer
ida
sem
ferida
tudo
começa
de novo
a cor
cora
a flor
o ir
vai
o rir
rói
o amor
mói
o céu
cai
a dor
dói

Augusto de Campos 

Wanderley Elian
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...